Request More Info
Send to a Friend

Protocolo Kyoto
10/26/2015

Depois da crise energética dos anos 70, e do protocolo de Kyoto (1997), encontramo-nos num momento onde a sustentabilidade é um tema de discussão em todas as comunidades científicas do mundo. A indústria da construção civil não foge à regra. As preocupações ecológicas e sustentáveis têm vindo a ser tema de Seminários e Congressos organizados por um leque de entidades públicas e privadas...Segundo, o Presidente dos Estados Unidos, Jorge Bush, este fez um sombrio comunicado aos seus compatriotas na quinta-feira passada (01/06/06) «Estamos enfrentando a pior crise de energia desde os embargos dos anos 70» . No sentido de fazer cumprir o protocolo de Kyoto e suas metas de redução de emissão de gases poluentes por parte dos países industrializados, a maior parte dos 141 países que assinaram em 1997 o protocolo, levaram-nos a investigar e investir em sistemas de energias renováveis não poluentes, e em sistemas sustentáveis tanto a nível económico como ecológico. Uma das metas estabelecidas no protocolo supracitado é que entre o ano de 2008 e 2012, os países desenvolvidos reduzam em 5% as suas emissões de gases causadores do efeito estufa. Em relação ao nível de emissões de 1990, os cientistas afirmam peremptoriamente que só com uma redução de 60% nas emissões de gases é que poderiam evitar alterações climáticas. IPCC - Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática, criado em 1988 está encarregue de transmitir informações cientificas às nações envolvidas. Esta instituição prevê ondas de calor, inundações e secas, caso haja aumento entre 1 e 3,5 graus centígrados da temperatura global média da superfície terrestre até 2100. Ora estes valores são no mínimo preocupantes relativamente ao futuro e equilíbrio planetário. Cientistas que estudam o clima dizem que as metas instituídas em Kyoto apenas tocam a superfície do problema, não resolvendo de todo as questões ambientais do planeta. Perante tais factos, os termos finais de Kyoto receberam, portanto, várias críticas, havendo alguns cientistas a dizer que o protocolo terá pouco impacto no clima e é praticamente inútil sem o apoio Americano. No entanto, outros pensam que é importante definir metas para que, aos poucos, se possa fazer um pouco mais. Os países que assinaram o protocolo, e que estão obrigados a reduzir a emissão de gás carbónico são: Alemanha, Austrália, Áustria, Bielorussa, Bélgica, Bulgária, Canadá, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Estónia, Federação Russa, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Japão, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Nova Zelândia, Países Baixos, Polónia, Portugal, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, República Checa, Roménia, Suécia, Suíça, Turquia e Ucrânia. Sendo Portugal um dos países obrigados a cumprir as metas instituídas pelo protocolo de Kyoto, parece-nos relevante trabalhar sobre alternativas às problemáticas da sustentabilidade dos edifícios tais como: a eficiência energética através de bons isolamentos e ganhos solares passivos; a climatização através de energias renováveis; materiais de construção sustentáveis (revestimentos ou estruturais); ventilações naturais; aproveitamento da água das chuvas; a reciclagem de águas residuais domésticas através de Etap (Estação de Tratamento de águas através de Plantas); Geo Piscinas ou Bio-piscinas; produção de energia eléctrica para posterior venda à rede publica; Harmonização de espaços através da Geobiologia; Permacultura. Tendo em conta que a partir do mês de Junho do corrente ano, entrou em vigor o Decreto-lei já publicado em Diário da Republica, do novo regulamento térmico dos Edifícios, já considerado um dos mais rigorosos da União Europeia, estaremos todos nós a caminhar para a tomada de consciência da problemática do consumo energético e da sustentabilidade.

Press

  • Arquitectura Sustentável
    10/26/2015

    Vivemos hoje no paradigma do pós-modelo maquinista e, absorvidos pelo modelo tecnológico também ele enraizado no velho modelo da máquina, ignorando o paradigma da sustentabilidade, dos recursos naturais, colocando assim em causa o equilíbrio da Bios ...
    read more >>
  • Geobiologia
    10/26/2015

    A Geobiologia é uma ciência milenar que estuda o Electromagnetismo terrestre. A Radiestesia vem de Radiação (Radium do Latin) + Sensibilidade (Aesthesis do Grego), significa sensibilidade às radiações ou seja é a técnica utilizada pelos Geobiólogos n ...
    read more >>
  • O Bambu
    10/26/2015

    O bambu é um dos materiais de construção mais antigos. As populações das regiões tropicais, Ásia, Oceânia e América do Sul de onde as mais de 1000 espécies de bambu são originárias souberam aproveitar as qualidades polivalentes e resistentes deste ma ...
    read more >>

Novidades

  • A Architektur Konzept e algumas imobiliárias nacionais formalizaram uma parceria de cooperação e apoio aos seus clientes numa vertente de win win.
    Brevemente teremos mais desenvolvimentos em relação a este tema.

    The Architektur Konzept and same nacional companies of real estate make one agreement to cooperate and suport the clients by one logic Win Win.
    Soon we have more developments in relation of this item.


  •  

    É com muito prazer que anunciamos que em Março de 2015 fazemos 8 anos que iniciamos a nossa actividade empresarial. Têm sido anos de grandes desafios e motivações e neste ano mais uma vez vamos superar as nossas espectativas para o servir cada vez melhor.

    It´s with great pleasure that we announce that in March 2015 we completed 8 years, of our activity. It has been years of great challenge and motivation and this year once again we are going to overcome our expectations in order to serve you better.

Ligações